segunda-feira, 22 de novembro de 2010

AS PRINCIPAIS FUNÇÕES DA ATMOSFERA

Relação da atmosfera com a física e a  química: A atmosfera é composta por várias camadas, que se diferenciam de acordo os aspectos físicos e químicos.
aspecto quimico: É a química, com suas fórmulas, elementos e reações, a matéria que justifica todos esses fenômenos. A química na atmosfera e nas suas fonções,com a concentração de gases em diferentes alturas da troposfera, a parte mais baixa da atmosfera, vendo o  nitrogênio, oxigênio, dióxigo de carbono e outras relações químicas.
O principal componente químico e que é o mais conhecido é o dióxido de carbono e que esta a provocar o conhecido efeito estufa ou o aquecimento global.Alguns poluentes já referidos, como o ácido sulfúrico e o dióxido de enxofre vão-se dividir em ácido sulfídrico e vão condensar nas nuvens e misturar-se com o vapor de água. Ao ocorrer a pricipitação vão-se pricipitar e espalhar nos terrenos à volta e contaminar terrenos, lagos, rios e florestas.Existem vários componentes químicos poluidores que são o dióxido de enxofre, dióxido de carbono, metano, chumbo e alguns ácidos como o sulfúrico. O dióxido de carbono, os fumos e o dióxido de enxofre vão servir como núcleos de condensação e misturando-se com o nevoeiro numa atmosfera úmida vão originar o smog e numa atmosfera seca a bruma.


aspecto físico: A Física busca compreender e determinar as flutuações erráticas e irregulares que se encontram na natureza, e com seu desenvolvimentoAs propriedades físicas também se modificam ao longo da atmosfera, bastante características é a variação de temperatura, inicialmente ela vai diminuindo conforme aumentamos a altitude posteriormente ela volta a aumentar com a altitude depois inverte, é as variações entre moléculas e energia.Auxiliando na obtenção de informações mais precisas sobre os os principais processos físicos que determinam a estrutura e comportamento da atmosfera e suas funções.

Quais são as principais funções da nossa atmosfera.
  1. filtrar radiações
  2. regular o clima,o ciclo das chuvas
  3. os ventos
  4. o efeito estufa
  5. fornecer oxigênio para manutenção da vida
  6. proteger da queda de meteoros
  •  Filtrar radiações: A atmosfera funciona como um filtro da radiação solar, deixando passar as radiações de energia mais baixa, absorvendo (retendo) as de energia mais elevada. Apresenta-se como uma “capa protectora”, reflectindo para o espaço exterior ou absorvendo as radiações solares que seriam excessivas para a vida na Terra.
    Na estratosfera a camada de ozono filtra grande parte da radiação nociva, os raios ultravioletas.
    Absorve uma parte significativa da radiação ultravioleta (UV) – através do ozono estratosférico – que, ao atingir a Terra, inviabilizaria provavelmente, as formas de vida tal como as conhecemos, uma vez que a temperatura seria muitas vezes mais elevada, impossível de suportar pelas actuais espécies animais e vegetais.

    Estas radiações absorvidas possuem energia suficiente para dissociar as moléculas dos gases aí existentes, mas não para as ionizar. Formam-se assim, preferencialmente, radicais livres.

  • Regular clima e o ciclo da chuva: pressão atmosférica ajuda a regular o clima e as condições de habitabilidade de planetas semelhantes à Terra, ciclo hidrológico refere-se à troca contínua de água na hidrosfera, entre a atmosfera, a água do solo, águas superficiais, subterrâneas e das plantas.A água se move perpetuamente através de cada uma destas regiões no ciclo da água constituindo os seguintes processos de transferência:


  • Evaporação dos oceanos e outros corpos d'água no ar e transpiração das plantas terrestres e animais para o ar.
  • Precipitação, pela condensação do vapor de água do ar e caindo para a terra ou no mar.
  • Escoamento da terra geralmente atingem o mar.

O ciclo da  água, evapotranspiração (nome cientifico dado ao vapor de água obtido da transpiração e da evaporação) atinge um certo nível da atmosfera em que ele se condensa, formando as nuvens. Nas nuvens, o vapor de água condensa-se formando gotículas, que permanecem em suspensão na atmosfera.Estas gotículas, sob certas condições, agregam-se formando gotas maiores que precipitam-se, ou seja, chove. A chuva pode seguir dois caminhos, ela pode infiltrar-se e formar um aquífero ou um lençol freático ou pode simplesmente escoar superficialmente até chegar a um rio, lago ou oceano, onde o ciclo continua.



  • Ventos: Pode ser considerado como o ar em movimento. Resulta do deslocamento de massas de ar, derivado dos efeitos das diferenças de pressão atmosférica entre duas regiões distintas e é influenciado por efeitos locais como a orografia e a rugosidade do solo.
    Essas diferenças de pressão têm uma origem térmica, estando diretamente relacionadas à radiação solar e os processos de aquecimento das massas de ar. Formam-se a partir de influências naturais: continentalidade, maritimidade, latitude, altitude e amplitude térmica.O vento é muito importante para o ser humano, pois facilita a dispersão dos poluentes e também pode gerar energia (energia eólica). Os ventos Constantes são existentes dos Trópicos para o Equador, podendo causar chuvas por causa da sua úmidade,

    Na atmosfera, existem os ventos periódicos, são conhecidos como brisas das regiões litorais, que se alternam regularmente de sentido. Estes ventos surgem devido a desigualdade, capacidade de aquecimento entre a Terra e o mar.

Ventos perigosos:














Tufão: É o nome que se da aos ciclines.formados no sul da Ásia e na parte ocidental  do oceano Índico, entre julho e outubro. É o mesmo que furacão, só que na região equatorial do Oceano Pacífico. Os tufões surgem no mar da China e atingem o leste asiático.























Tornado:  É o mais forte dos fenômenos meteorológicos, menor e mais intenso que os demais tipos de ciclone. Com alto poder de destruição, atinge até 490 km/h de velocidade no centro do cone. Produz fortes redemoinhos e eleva poeira. Forma-se entre 10 e 30 minutos e tem, no máximo, 10 km de diâmetro. O tornado é menor e em geral mais breve do que o furacão, e ocorre em zonas temperadas do Hemisfério Norte.



















Ciclones: São ventos circulares, como: Tufão, Furacão, Tornado e Willy-Willy. É uma tempestade bastante  violenta que ocorre nas regiões tropicais e subtropicais. A velocidade supera a 50km/h.





















Furacão: É um vento circular forte, com velocidade igual ou superior a 108 km/h. Os furacões são os ciclones que surgem no mar do Caribe (oceano Atlântico) ou nos EUA. Os ventos precisam ter mais de 119 km/h para uma tempestade ser considerada um furacão. Giram no sentido horário (no hemisfério Sul) ou anti-horário (no hemisfério Norte) e medem de 200 km a 400 km de diâmetro. Sua curva se assemelha a uma parabólica.




  • Efeito estufa e fornecimento de oxigênio para  manutenção da vida:
    Não é tão vilão assim!


O Efeito Estufa é a capacidade que a atmosfera terrestre possui de absorver fases presentes, com a radiação solar refletida na superfície terrestre, alguns gases são absorvidos pela atmosfera.Desta forma, o calor fica retido, não sendo o mesmo liberado no espaço. O Efeito Estufa mantém o planeta aquecido, com isso a manutenção da vida terrestre, é garantida.A maior preocupação é um desequilibrio que poderá ocorrer com o planeta, o Efeito Estufa poderá ocasionar o aquecimento global, com isso, temos também um sério risco a vida terrestre, o equilibrio é a chave para a vida na Terra, como conhecemos.


O equilíbrio é fundamental para a vida. Mesmo quando o assunto é efeito estufa. Na verdade, quando não é excessivo, esse processo é importante para a manutenção de temperaturas mais amenas e adequadas da Terra Muitos desses gases estufa são produzidos naturalmente, como resultado de erupções vulcânicas, da decomposição de matéria orgânica e da fumaça de grandes incêndios. Por isso são indispensáveis para a existência de vida no planeta. Contudo, em escala global, o aumento exagerado desses elementos provoca o aquecimento do global e suas conseqüências catastróficas. O derretimento das calotas polares e de geleiras, por exemplo, eleva o nível das águas dos oceanos e dos lagos, submergindo ilhas e amplas áreas litorâneas densamente povoadas. O superaquecimento das regiões tropicais e subtropicais contribui para intensificar o processo de desertificação e de proliferação de insetos nocivos à saúde humana e animal.






video


POR QUE EFEITO ESTUFA?

O nome surgiu a partir dos ambientes usados para criar plantas. Visando uma produção excelente e perene, as estufas fornecem as condições ideais para o crescimento. São ilhas de desenvolvimento.


  • Proteger de queda de meteoros:

 No espaço há muitos fragmentos de astros que se desintegram constantemente os planetas são atingidos por esses fragmentos, a atmosfera é responsável por não deixar que eles cheguem até a superfície. Entre várias funções da atmosfera a principal é a proteção contra a entrada de corpos estranhos na superfícieO número de corpos do sistema solar diminui muito à medida que seus tamanhos aumentam; ou seja: existem muitos corpos pequenos, porém poucos corpos grandes. Isso faz com que a probabilidade de colisões com nosso planeta diminua com o aumento do tamanho dos corpos. Entretanto, devido à grande velocidade desses corpos, mesmo um cometa ou asteróide "pequeno" que cair na Terra, poderá liberar uma quantidade muito grande de energia. Objetos de 10 a 30 metros de diâmetro, colidindo com a Terra, seriam capazes de liberar uma energia de 3 a 1.000 megatons (equivalente a centenas de bombas de Hiroshima). Estimamos que a frequência de colisões de corpos dessa faixa de tamanho com a Terra deva ser de 1 a 100 anos. Objetos de 30 a 200 metros de diâmetro liberariam uma energia de 1.000 a 10.000 megatons e devem cair na Terra com uma frequência de 100 a 10.000 anos. O asteróide que caiu em Tunguska no início do século se encontra nessa faixa de tamanho.Objetos de 200 metros a 2 quilômetros de diâmetro liberariam uma energia de 10.000 a 100.000 megatons e devem cair na Terra com uma frequência de 10.000 a 1 milhão de anos. Seriam capazes de devastar áreas equivalentes a um continente. Objetos de 2 a 10 quilômetros de diâmetro liberariam uma energia de 100 mil a 1 milhão de megatons e devem cair na Terra com uma frequência de 1 milhão a 100 milhões de anos. O asteróideque provocou a extinção dos dinossauros se encontra dentro dessa faixa de tamanho. Objetos com mais de 10 quilômetros de diâmetro seriam capazes de extinguir a vida em nosso planeta e devem cair na Terra com uma frequência de 100 milhões a 1 bilhão de anos. A imagem acima é uma simulação da colisão de um desses asteróides com a Terra.













Nenhum comentário:

Postar um comentário